Com 84 anos, o ex-presidente do Uruguai, José Pepe Mujica, está firme dentro da campanha eleitoral uruguaia com uma agenda de cerca de três atos políticos por dia, pedindo votos para o candidato à presidência Daniel Martínez, da Frente Ampla, e para o seu partido, o Movimento de Participação Popular (MPP). Apesar de manter a atenção voltada para a política uruguaia, Mujica não para de pensar no Brasil, diz que o país passa por uma fase difícil vê a liberdade de Lula como essencial. Ele ainda afirma que pretende retornar ao país após as eleições.

Em conversa com jornalistas entre compromissos de campanha, Mujica disse o que está acontecendo no Brasil “é um desastre” e deu destaque especial à prisão do ex-presidente Lula. “Como um presidente, que tirou mais de 30 milhões de pessoas da pobreza pode ser preso desta forma. O que vemos é que existe uma perseguição política que está envenenando a todos na América Latina”, declarou, referindo-se também às tentativas de prisão da ex-presidenta Cristina Kirchner, da Argentina, e do ex-presidente Rafael Correa, do Equador.

Segundo o ex-líder revolucionário, o que está acontecendo é uma renovação nos mecanismos de golpes de Estado promovidos pelo capitalismo. “Eles estão substituindo os velhos golpes de estado por versões mais adocicadas, mas são golpes e é lógico que façam. Não devemos esperar outra coisa do capitalismo, que na verdade é o verdadeiro pai da corrupção. Ele quer que o povo compre o que sequer precisa para viver feliz. Este sistema semeia sempre a ideia de que ter sucesso na vida é ter muito mais do que é necessário e seu lema é que para ter sucesso, é necessário ser rico”, declarou.

Mujica recebeu ainda uma camiseta da campanha Lula Livre, enviada pelo ex-senador Lindbergh Farias (PT). Ele agradeceu o presente e falou que pretende visitar o Brasil logo após as eleições presidenciais do Uruguai para conversar com a esquerda brasileira.

Amazônia

 

Entre os “desastres” do Brasil, o ex-presidente uruguaio ainda colocou o desmatamento e as queimadas na Floresta Amazônica, que ganharam repercussão mundial. “Queimam uma floresta por dinheiro e sequer estão preocupados com o que vai e está acontecendo no planeta. O que está se fazendo com o meio ambiente é muito grave, ele não vai durar para sempre”, declarou.

“O que eles acham? Que os recursos naturais vão se renovar pra sempre? Por que destruir tudo em volta para assegurar essa máquina do consumo? Por que precisamos ter 20 pares de sapatos? Por que uma pessoa precisa de 20 pares de sapatos? A acumulação capitalista necessita que compremos, gastemos. Uma produção de mentiras. Não se pode viver só para se pagar contas no fim do mês. É preciso cuidar do meio ambiente para garantir o futuro”, finalizou.

Uruguai, Argentina e Bolívia

 

Na conversa, o ex-presidente declarou que está confiante de que haverá um triunfo triplo da esquerda na América Latina durante as eleições de outubro no Uruguai, na Argentina e na Bolívia. Mujica e seu partido, o MPP, compõem a Frente Ampla e defendem a eleição do ex-prefeito de Montevidéu, Daniel Martínez, como presidente da República.

Na Argentina, ele crê que Alberto Fernández, “um velho conhecido”, conseguirá a vitória sobre Macri, mas avalia que ele terá um governo de muita dificuldade. Em conversa com o jornalista Ari Lijalad, do El Destape, ele afirmou que o país não precisa de um presidente, mas de “um mágico”.

Por Revista Fórum

Ler 311 vezes

Partido dos Trabalhadores

O Partido dos Trabalhadores surgiu como agente promotor de mudanças na vida de trabalhadores e trabalhadoras das cidades e dos campos, militantes de esquerda, intelectuais e artistas.

Foi oficializado partido político em 10 de fevereiro de 1980. O PT integra um dos maiores e mais importantes movimentos de esquerda da América Latina. Confira nossas redes sociais

 
 
 
 
 

Seja Companheiro!

Cadastre-se Online

Top