Luiz Marinho, candidato da Coligação “São Paulo do Trabalho e de Oportunidades - PT/PC do B”, disse que, em janeiro de 2019, como governador, irá criar uma força-tarefa para combater a criminalidade e o crime organizado no Estado de São Paulo.

“Vamos fazer uma força-tarefa, chamando as Polícias, o Ministério Público e o Judiciário, sob o comando do governador, para combater de fato o crime organizado”, defendeu Marinho ao lado de Fernando Haddad, candidato à Presidência da República, durante campanha no Largo de São Mateus, zona leste de São Paulo, nesta quarta-feira (19/9).

Marinho afirmou que a situação de insegurança em São Paulo é reflexo da política adotada pelos governos do PSDB. “Em vez de fazer escolas ou creches, o governo de São Paulo investiu pesado na construção de presídios, trouxe o crime organizado para São Paulo e aumentou a criminalidade.”


O candidato petista também declarou que irá fazer uma reestruturação das polícias Militar e Civil que, aliada à Cultura e à Educação, é a única forma de combater a violência e o crime organizado.

“São 24 anos de retrocesso na segurança. Ao contrário do que se imagina, boa parte dos policiais militares não morre em bicos, em situações de conflito, mas se suicida. Vamos fazer um governo que irá cuidar das pessoas, inclusive dos policiais”, disse Marinho.

“Por isso tenho o compromisso de criar respaldo para eles [policiais] trabalharem, equipados, com tecnologia, com respaldo psicológico, com apoio à habitação”, disse o petista, pois, de acordo com o candidato, 85% dos policiais militares estão “pendurados” em empréstimos consignados, por causa do “salário de fome que ganham”.

Haddad e Marinho

Já o candidato à Presidência da República pelo PT, Fernando Haddad, que subiu 11 pontos percentuais em pesquisa Ibope divulgada nesta terça-feira e praticamente se consolidou para a disputa do segundo turno, lembrou que apenas o PT trabalhou pensando na população da zona leste da capital paulista.

“Promovemos uma revolução no transporte público. Trouxemos o passe livre, os corredores de ônibus, o bilhete único, que facilitam a vida do trabalhador. Enquanto isso, João Doria cortou a distribuição de leite aos mais pobres e quis distribuir uma espécie de “ração”’. Por isso, também queremos Marinho como governador depois de 24 anos de PSDB cortando todos os gastos. Queremos um trabalhador que se tornou ministro e prefeito por duas vezes”, disse Haddad.

Para Haddad é preciso resgatar as políticas sociais dos governos petistas. “O que a gente quer é retomar o Brasil e devolver aos brasileiros”, afirmou.

Para acessar o áudio de Luiz Marinho em campanha na zona leste de SP, acesse: https://bit.ly/2PMPf2g

Para fazer download das fotos, acesse: https://bit.ly/2D9fDC9

Crédito de fotos: Cesar Ogata/Divulgação

Ler 824 vezes

Partido dos Trabalhadores

O Partido dos Trabalhadores surgiu como agente promotor de mudanças na vida de trabalhadores e trabalhadoras das cidades e dos campos, militantes de esquerda, intelectuais e artistas.

Foi oficializado partido político em 10 de fevereiro de 1980. O PT integra um dos maiores e mais importantes movimentos de esquerda da América Latina. Confira nossas redes sociais

 
 
 
 
 

Seja Companheiro!

Cadastre-se Online

Top